sábado, 18 de dezembro de 2010

E porque é... Natal!



É Natal
Diz-me o coração.

E nestes dias de frio
Natal é aconchego
Amor, fraternidade
Solidariedade…

Até quando é Natal?

Nos meus olhos
Interrogam-se dúvidas.
O coração vibrante de quente
Esquece por momentos
Fomes dolorosas
Batalhas perdidas
Amigos ausentes
Palavras amargas
Crianças feridas.

Por momentos tudo é perfeito.
As luzes brilham numa música suave.

Ao longe faz-se ouvir o cristalino riso
De uma criança que desconhece o fel da Vida.

Riso que entoa e cruza o frio de neve
derretendo-a.

E, por momentos, só por momentos,
O olhar do Menino Jesus sorri,
Deitado nas palhinhas olhando a Virgem Mãe,
Que ternamente, de joelhos, proclama
O seu Nascimento…

É Natal!

A todos desejo um Natal muito Feliz no aconchego dos afectos que possuem.

Até ao próximo...


(Poema de Dezembro de 2009)

3 comentários:

CarlosFerreira disse...

Feliz Natal para ti também, Poeta
Que os Fados te sejam propícios e as Musas te protejam.

Carlos Ferreira

Jaime A. disse...

FELIZ NATAL!

Filipe Oliveira disse...

Paz, Saúde e Amor.
Um ano de 2011 cheio de desafios concretizados.