quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Cartas de Amor...

Pintura de Charles Joseph Frederick Soulacroix




Há muito que não escrevo cartas de amor.

As últimas que escrevi não obtiveram resposta e decidi que não iria escrever mais.

Sentir o amor dentro de mim e partilhá-lo de uma forma que me faça feliz ou então tomar como se fosse para mim uma carta assim.

Fechar os olhos e imaginar que a brisa me toca, me arrepia, me faz suar, que o meu olhar toca algo de mágico que me leva por sonhos em leito de mel onde duas bocas se fundem num hino de amor.

Imaginar-me tocada pelo vento e nos meus cabelos a brisa em mim soprasse como duas mãos que ternamente me cingissem e na leveza do meu corpo se acostasse como a rocha que segura as ondas do mar …

Amo o amor que me faz sentir tanto amor. Amo as palavras que não transparecem do meu ser sedento da magia que o amor cativa a cada instante.

Amo o finito e o infinito porque amo cada instante, cada pulsar, que na brisa se deleita.

Sinto o amor.

Mas não o escrevo, nunca mais, numa carta.

Escrevo-o com o meu sangue na raiz do tempo e das memórias.

E aqui.

11 comentários:

Jaime A. disse...

Ainda bem que a sua carta não selou este amor.
A partilha de algo que é muito nosso não o torna vulgar, antes, como neste belo texto, o eleva.
Gostei muito da partilha.

Carlos Ferreira disse...

Rosa Brava afirma:
"Sinto o amor. Mas não o escrevo, nunca mais, numa carta"
e faz bem, pois
"as cartas de amor começam sem saber o que se vai dizer, e terminam sem saber o que se disse",
Já o dizia Jean Jacques Rousseau

Paulo Villalobos disse...

Belissimo! A musica muito bem escolhida!
PV

heretico disse...

cartas de amor. bravias...
logo,

belas!

beijo

Joana Albuquerque disse...

---- Amo o finito e o infinito porque amo cada instante, cada pulsar, que na brisa se deleita.
Sinto o amor.
----

Palavras lindas que mostram a sensibilidade da tua alma e como diz o Paulo a musica está muito bem escolhida tal como a imagem.
Belissimo!
Um beijão da
Joana Albuquerque
tinha saudades das tuas palavras

Eduardo disse...

Cartas de amor...
Cartas de sofrimento
Cartas de dor
Cartas de esperança

Quem as não tem?

Mas a vida é isso mesmo

Importa é que a gente AME com muita intensidade o AMOR

Beijo cheio de ternura para a rosa mais linda do meu jardim

Gaby Stuque disse...

Viajei por um céu aberto com tais palavras !
Adorei de paixão.
Um beijo.

João disse...

perfeito paraiso entrar aqui!
a musica condizendo com as palavras percorri seus blogger todos vindo do amigão Mhário Lincoln e me apaixonei pelo que está escrevendo

http://www.youtube.com/watch?v=uQoKf-t0d-4&feature=related

Å®t Øf £övë disse...

Eu nunca deixarei de escrever cartas de amor, porque para mim elas representam o testemunho eterno do meu amor.
Bjs.

João Soeiro Dias disse...

Do Menina Marota para o Rosa Brava: dois blogues a mesma Mulher que escreve divinamente.Cartas de amor assim gostava de as receber.
Bjo
João Soeiro

Anónimo disse...

Olá Menina

Passando por aqui fica-se... (infinatamente bem) ,é um néctar para a alma.

beij,s

Tretas