domingo, 13 de janeiro de 2008

noite


Pintura de Andreas Dieberger


Noite que te interpões de permeio
entre a queda do poente
e o despontar da alvorada
Noite em que me perco e me enleio
numa teia entorpecente
tecida pela madrugada

Noite de náufragos à deriva
de tempestade escondida
nos gelos da solidão
Noite a do silêncio que abriga
uma angústia ressequida
nas cinzas duma canção

Noite companheira da incerteza
catapulta de ilusões
manto de sonho e de cio
Noite a fogueira sempre acesa
alimentando os vulcões
dos corpos em desvario

Noite onde germinam conversas
onde as palavras se perdem
em sílabas murmuradas
Noite o centro de mil promessas
que se compram que se vendem
e outras tantas adiadas

Noite tempo lento dum percurso
que vai do meu corpo ao teu
em dádivas de ternura
Noite o derradeiro recurso
de alguém que tal como eu
vive da noite a aventura

Noite com ela vens de mansinho
à alcova dos meus segredos
que vou partilhar contigo
Trazes da noite todo o carinho
que desliza entre os meus dedos
e adormeces comigo

(Poema de
Fernando Peixoto in Arca de Ternura)

18 comentários:

Rosa Maria disse...

Olá

Muito obrigada pela visita!

Resto de bom domingo

Beijo

Fernando Peixoto disse...

Ao albergar no «Refúgio» esta «Noite», a Menina Marota apenas me torna ainda mais responsável por aquilo que publicarei no futuro.
Sinto-me tão bem aqui!!!
Um Xi-coração
FERNANDO PEIXOTO

Castro Ribeiro disse...

Não costumo comentar, até porque não tendo nenhum registo oficial, para poder deixar, custa-me entrar como simples anónimo; mas hoje senti-me tentado a comentar esta página que me deixa sempre enlevado, qier pelas escolhas e textos poéticos, quer pela imagem e pela música. Não se ofenda se disser que é um dos meus refúgios preferidos que acalma os meus dias e me transmite paz.
O meterno agradecimento por isso.
Cumprimento-a respeitosamente
João

telma disse...

não conhecia. mas está mesmo giro ^^ *

© Piedade Araújo Sol disse...

...

um belo poema...

fica um beijo da

Pi

O Profeta disse...

Ergui-me ao vento na tua procura
Fundi um abraço com o sol da tua ternura
Modelei o amor com as palavras mais belas
Curso de errante espírito na tua procura

Porque o pensamento é voo de milhafre
Aprisionado em gaiola de palavras
O infinito e o incomensurável
Volto ao encontro das tuas profundas mágoas

Bom domingo


Mágico beijo

Charlie disse...

Magnífico poema.
A noite apetece tanto...

Lord Broken Pottery disse...

Retribuo a visita que recebi. Aproveito para elogiar o magnífico poema. É sempre bom ver nosso idioma tão bem tratado.
Grande beijo

FM disse...

As palavras, sempre as palavras... que tantas vezes dizem mais do que os gestos.
Deixo-te Essências de Luz.

herético disse...

poema muito belo. adorei. beijos

Teresa Durães disse...

e depois da noite mágica, a brutalidade do dia

Mustafa Şenalp disse...

very nice a blog :)

herético disse...

"reserva" de sensibilidade e bom gosto este espaço...

reconfortante. sempre.

Paula Raposo disse...

Tão bela a descrição da noite...gostei, não conhecia. Beijos.

O Profeta disse...

Inventei uma cidade colorida
Pintei um lago ao pé da tua porta
Coroei-te com diadema de sal
Lancei à sorte esta folha já morta


Boa semana



Doce beijo

o sal da nossa pele disse...

Olá, gostei... tudo de bom...

♥≈Nღdir≈♥ disse...

O tempo tomou conta da minha vontade… corre veloz ao sabor do vento…
Contudo… mesmo num desejo rápido, estou aqui… nem que seja apenas para desejar uma boa semana.
E parto… de novo sem promessas, porque não sei quando me será permitido voltar, fica então a vontade de regressar, um dia destes quando o tempo permitir…
Que fique o meu beijo e que dure pelo momento de ausência no espaço de um até breve.
Nadir

Vera disse...

Uma escolha excelente!

Beijo