sábado, 13 de janeiro de 2007

Dança de Palavras...


Imagem de Isabel Filipe

Não mais a ti direi que meus olhos estão tristes.
Que as palavras abafam na penumbra do meu peito.
Palavras gastas de tempo de memórias, ilusões perdidas de mundos que se foram.
Não mais a ti direi que o sentido é sentido, que o abraço é viver no sangue, a chama da saudade…
Que todas as marés que percorri em palavras, trazem a odisseia de quem as viveu.
E como dizia o poeta “… gastam-se as palavras…” mas não se gasta o íntimo pensamento, partilhado unicamente a duas mãos, em danças de luas, que não se repetem.

Bailam as folhas, bailam lentamente…

Em céus azuis de sonhos sofridos, de esperanças renascidas de sorrisos em meu rosto…

Silêncio...estou sozinha...eu me desnudo
Manifestando a dor, sem disfarçá-la...
E por adormecê-la e suavizá-la,
A noite envolve a terra, qual veludo!

...e as palavras correm como vento.

...O vento atrai tempestades, esse vento da noite, que derruba estrelas, vento que gela por vezes o meu corpo, vento de ira, vento que transforma um pequeno grão de areia, em pedra dura... vento que sempre volta, para lembrar a saudade e avivar a dor...vento que enlouquece a tempestade que se adivinha, nas ondas gigantescas deste mar que é a Vida.

Na dança...soltam-se lembranças….

...viajei no tempo das minhas memórias. Não que tenha saudades desses tempos. Nada disso. Mas voltar ao passado, lembrar amores e desamores, fortalece o meu espírito. Sempre gostei de assumir, perante mim própria, tudo aquilo que a Vida me dá. De bom e de mau. Nem tudo foram rosas, mas nem tudo foram espinhos. Já viajei em águas revoltas, já rompi madrugadas orvalhadas de lágrimas e suspiros. Mas também já vi o sol nascer, de sorriso rasgado, corpo molhado de prazer. Fui ao fundo das minhas memórias, sorri e voltei.
Hoje - estou feliz!

Diluem-se pensamentos…

A ti me dou em forma de palavras.
Para que nos teus sentires despertes os meus.
E nessa paixão que nos enlaça
Um poema satisfazemos...
Um poema...
Este poema mágico que sentimos dentro de nós...
As tuas palavras com que saboreias a minha alma...

Lavam-me a alma…

E se há uma estrela, além, marcando-nos o destino,
é esforço vão fugir ao perigo dum momento!
E se uma folha move - foi em pensamento -
Sacudida por Deus.
Não é livre o caminho...

...de quem as proferiu…

26 comentários:

Anónimo disse...

Um jogo de palavras esta tua Dança de Palavras...
Atraído pela imagem que deixaste no blog da Isa vim aqui espreitar e deparo-me com um local fantástico que desconhecia. O preludio da musica é uma maravilha; e o teu texto é mesmo uma dança que entra e nos rouba os sentidos. Escreves muito bem Rosa Brava!!

Carlos disse...

O anónimo ali sou eu: Carlos

Anónimo disse...

Quando me deparei com estas palavras, esta cor e este movimento fiquei parado. A imaginar as palavras, a cor e o movimento. Vi um vulto a fazer memórias. Danças de vida. Longos dias e noites de acontecer. E deixei-me estar. Porquê? A ver um filme? De quem? Não. Deixei que as minhas palavras, cores e movimentos aceitassem as tuas e os teus. Porque de aceitação somos todos feitos. E de palavras. E cores. E movimentos.

Anónimo disse...

Belo, belo, Belo...
Bom Fim de Semana

Peter disse...

É um texto muito, muito interessante, em que a poesia joga com a prosa e ambos, com a imagem, bailam ao sabor do vento da vida.

wind disse...

Gostei do "Jogo" entrecruzado da poesia e da prosa:)
beijos

Anónimo disse...

gostei deste entrelaçar de palavras. vibrantes como corpos em chama.

Ana Luar disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ana Luar disse...

E pk o vento traz no corpo arredio, a dança das memórias,
Da saudade de tempos audazes, em que bailamos ao som dos pensamentos, das palavras e do sentir.
Onde lavamos a alma, na fé que nos incita ao melhoramento humano.

É pena k o vento acalme, a dança termine… e k nos restem sonhos gastos, sonhos sofridos, olhos que se entristecem… se apagam...
Mas a esperança não morre na alma dos crentes como tu... e mais uma vez a vida se recicla e as esperanças renascem em belos textos como este teu.

Obrigada Rosa Brava pelo belíssimo momento.

Isabel Magalhães disse...

Em silêncio deixo um bj.

Continuação de bom domingo.

L disse...

Obrigado por passares pelo meu blog, e quando à tua pergunta sobre quem é a feliz comtemplada. Ela sabe, tenho pena é que de um momento para o outro e tal como o poema diz " o meu amor ensinou-me a partir", ela disse-me que deixou de me amar o suficiente para me fazer feliz. Mas eu não vou desistir, porque sei que elas ainda tem amor por mim.
O meu blog servirá para isso mesmo, começar a reconquista. Por isso visitem, postem comentários. Ajudem a reconquistar o amor da menina mais linda do mundo.
Beijos para ti e vou vir mais vezes a este cantinho e ao outro menina marota ;)

Anónimo disse...

Minha doce Menina.

É a primeira vez que visito este teu cantinho e... sinto-me muito graciado pelo lindo texto, muito bem acompanhado por uma divinal imagem.

"...lembrar amores e desamores..." que tão bem faz ao nosso espirito.

Como diz o poeta "Recordar é viver..." e tu bem mereces viver (feliz).

Nunca é demais dar-te os parabéns.

Um beijinho deste amigo "Montanheiro"

amita I disse...

Um belíssimo momento numa encadeada dança de palavras tuas que o mundo da poesia enlaça.
Um bjinho grande, minha amiga

Paula Raposo disse...

Adorei ter lido! Maravilhosas palavras. Beijos.

Vítor Amado disse...

Olá, Rosa Brava ( brava ???...ou doce?).
Quero agradecer-te os belos poemas que tens no teu blog. Sou um eterno amante de boa poesia. O teu blog faz repousar o espírito e a alma.
Obrigado tb por teres visitado meu blog.Vou adicionar o teu à minha pequena lista de links.Mereces.Continua a dar-nos estas danças de palavras.
beijo

Júlio Pimentel disse...

Bela conjunção de foto e versos. Agradável surpresa conhecer o teu blog, Rosa. ;)

Anónimo disse...

muito bonito.

João Norte
intro.vertido.weblog.com

Thunder disse...

Adorei este texto. A frase que mais me marcou foi " A ti me dou em forma de palavras", pois é desta forma que realmente mais me dou! As palavras têm o poder de dizer muita coisa em camuflado, só temos de saber decifrá-las. Boa semana.

Anónimo disse...

" A Ti me dou em forma de palavras"!!

E tu minha Rosa Brava....que espalhas as tuas pétalas ao vento...

Adorei este teu " espaço"... :))

Beijitos minha Menina...

Maria

Luis Eme disse...

Que Dança fabulosa de Palavras...

Anónimo disse...

------\.\.~.~././
--------(@.@)
--oOOo-(_)-oOOo--- -----@@@@@@!
-o@@@@!!!!!;;;@-------@..……….....::;!@
'O@@!!!!!!!;;;;;;;;@---@...…………..:;;;;;;!@
@@@!!!!!!!;;;;;;:::.@@......…..…...:;;;;;;;;;!@
@@!!!!!!!!!;;:::::.............……..…...;;;;;;;;;;!@
@@@!!!!!;::::::::…..........………...;;;;;;;;;;!@
-@@!!!!;;::::::::……........…..….…..;;;;;;:;!@
--@@!!:;;::::::::...Bjokas…….…....;;;;;;!@
----@!!!!;::::::::…....fofinha!………...:::@
------!!!!!;:::::::::…......…….……....….@
--------!!!;:::::::::::.……………….....@
-----------!!!;;:::::::::.…..…….…..@
--------------:::::::::::……..…@
------------------::::::::.…...@
---------------------:::::.@
----------------------::;::
-----------------------::

Isabel-F. disse...

Uma lindissima dança de palavras que adorei.

...e obrigada pelo condão que tens em realçar as minhas imagens...

tenho um apelo no meu Blog. quando puderes passa por lá.

Beijos

Anónimo disse...

Muito bom, este teu post. Um entrelaçado de prosa e poesia, um entrelaçar de memórias de vida. Muito bem escrito. É bom ler-te. **

Maria Clarinda disse...

....já tdo foi dito, resta-me mais uma vez agradecer-te pelos momentos mágicos! Jhs.

lena disse...

doce menina, consegui dançar nas tuas palavras, senti poesia, magia, um entrelaçar místico da prosa com a poesia, o vento transformado numa brisa acariciadora, o sonho da felicidade onde me enlacei…

senti-te ali no balançar da palavra, nos sentimentos, vi no teu olhar o brilho das estrelas…

vi-te e senti-te

excelente momento!

abraço-te ternamente

beijinhos, muitos

lena

Friedrich disse...

Senti a chuva bater na cara, o vento a bater no peito, neste que te guarda com enorme respeito e nas palavras que renascem sentimentos sentidos e vividos como o sol em cada manhã...

Beijo meu