sábado, 3 de novembro de 2012

Canção de Amor

Pintura de Duy Huynh



Como hei-de segurar a minha alma
para que não toque na tua? Como hei-de
elevá-la acima de ti, até outras coisas?
Ah, como gostaria de levá-la
até um sítio perdido na   escuridão
até um lugar estranho e silencioso
que não se agita, quando o teu coração treme.
Pois o que nos toca, a ti e a mim,
isso nos une, como um arco de violino
que de duas cordas solta uma só nota.
A que instrumento estamos atados?
E que violinista nos tem em suas mãos?
Oh, doce canção.

Poema de R. M. Rilke

5 comentários:

Alexandra Sequeira Carvalho disse...

Sempre descobrindo belas poesias.
Gostei muito
xi-coração da
Alexandra

mitro disse...

Obrigado pela partilha.

© Piedade Araújo Sol disse...

uma bela escolha.
obrigada!
bom fim de semana.
beijo

Evanir disse...


A verdadeira amizade jamais é esquecida
por mais distante que eu esteja meu pensamento estará sempre contigo.
Linda é nossa amizade estou passando por uma chuva
não chamaria de tempestade , pois tudo Jesus resolve.
Sem sua amizade e dedicação não teria sido possivel continuar
meu coração faz uma festa quando vejo seu carinho no meu blog.
Nessa segunda feira estou passando para desejar uma semana abençoada por Deus.
E aproveitar para deixar meu carinho e mil beijos meus.
Carinhosamente ,Evanir.
Devagar Voltando...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tenho bastante dificuldade em comentar poesia, mas gostei desta sonoridade. Obrigado pela partilha