domingo, 13 de novembro de 2011

Outono...



Há uma folha no vento
cor dos olhos da terra
ondula na aragem do tempo
onde a música é chuva
que limpa o pensamento.

Contempla a memória
na distância perdida e,
no pôr do sol da esperança,
o coração sente o apelo
do [a] mar
entre a fragrância das flores
que a brisa quer abraçar.

2 comentários:

heretico disse...

delicada e sensivel (como frágil folha) essa vocação de aMar.

gostei muito

beijos

Rosa Brava disse...

Obrigada, Manuel. Pela presença e palavras.
Um beijo.