domingo, 27 de setembro de 2009

Palavras


Imagem Google de autor desconhecido


Em horas escolhidas ao acaso
recordo palavras que me trazem
outras palavras, outros sons,
outras sombras;
palavras redondas como os seios
das meninas, em cujos olhos
se anuncia um brilho inquietante;
palavras que resvalam pela fala
e transformam o vulto
incerto das mãos em pássaros
ébrios de fogo, ou explodindo de luz
como se fossem astros;
palavras sangrando na boca,
ou um desvio, tecido às cegas,
para deixar entrar a noite.

(
Graça Pires in "Não sabia que a noite podia incendiar-se nos meus olhos" Pág 30)

4 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Gosto muito, tanto, da Graça Pires, e tanto adorei ler este naco de poesia, que fui lendo em voz alta, saboreando as suas palavras mágicas..Que bom!Abraço ao poema e à Graça.

Graça Pires disse...

Que bem que ficam aqui neste "Refúgio" as palavras que eram minhas e que agora são suas e de que as lê.
Um grande beijo e obrigada, minha amiga.

wind disse...

Lindíssimo!
Beijos

DE-PROPOSITO disse...

'palavras sangrando'
------------
As palavras servem para unir ou desunir. Pela palavra, amamos, e pela palavra, odiamos.
----------
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel