sábado, 16 de fevereiro de 2008

Alvores


Foz do Douro - Imagem de Carlos Silva

...e sempre o mar por perto; a estrela d'alva
terá como destino acolhedor
fazer desse mar um mar de amor
aos primeiros alvores da madrugada...
e que força tem e que esplendor
emerge, do dia que aparece
ao toque do sol, que entontece
as abelhas, pelas giestas desta vida!
Rompe então suave, quase dormida
da palidez marmórea do nascente
o encanto da cor aurea e quente
dum raio de luz; sol que beija
o mar ondulante e a carqueja
da costa mais agreste e alcantilada...
depois esvai-se em cor a madrugada
enquanto todo amor o mar arqueja!...

(Poema de
Maria Mamede in De Amor e de Terra)

15 comentários:

Teresa David disse...

MUITO BELO ESTE POEMA, COMO TODOS OS QUE TENHO LIDO DESTA AUTORA.
BJS
TD

elvira carvalho disse...

Muito bonito este poema, de alguém que só conhecia de nome, pois nunca tinha lido nada desta autora.
Um abraço e obrigada pela partilha.

Maria, Simplesmente disse...

Recebi no e-mail do meu Blog "Longe do Céu" o seu poema e através dele vim ao seu blog,
que vejo ser um lugar onde apetece estar e onde terei muito para ver e ler.
Não o recebi como comentário, no entanto considerei como tal e foi com muita alegria que o li e o aceito.
Espero por si sempre que queira dar-me essa honra.
Bj
Maria

wind disse...

Belo, como já é costume na Maria Mamede:)
Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

Poema belo, desta autora qye já conheço e que escreve muito bem.

;)

Victor Nogueira disse...

Olá :-)
Vim retribuir a tua visita e grato pelas tuas amáveis palavras. Tens um blog esteticamente atraente e gosto das ilustrações. Voltarei com mais tempo para ler/apreciar o que os teus olhos viram através dos olhar e dos lábios de outrem,
Aquele é um dos fortes. Há mais e ainda houve outros que o tempo destruíu. És de Luanda ou de Angola?
Abraço
VM

Agulheta disse...

Querida amiga. Adorei o poema,a música e esta foto que me lembra a minha terra,principalmente a foz do meu Porto lindo,ao som desta melodia... adorei.
Beijinho doce Lisa

Vera disse...

Gosto muito da poesia de Maria Mamede e este poema é uma excelente escolha, bela sua grandiosidade e beleza!

Beijo

Peter disse...

Escreves que não andas com vontade de rir, por isso deixei uma anedota no teu comentário.

Tens aqui uma poesia da Maria Mamede que já me privilegiou com a aferta de dois livros seus. Uma música maravilhosa e uma fotografia magnífica.

São razões mais que suficientes para te sentires em condições de passares um bom Domingo.

lena disse...

um poema tão belo de Maria Mamede


gosto muito de a ler

deixo-me ficar nesta beleza que aqui encontro e transpira tanta sensibilidades

visitar os teus cantinhos é um prazer


a ternura de um abraço para ti menina linda

lena

Mïr disse...

Um bom poema.

Snowmass disse...

É um prazer este cantinho de música e poesia, uma agradável e adorável surpresa que a sua visita me convidou, e em boa hora aqui passei ... porque gostei e muito!

JOSÉ FARIA disse...

Deixem-me estar aqui sossegado, no cáis, junto ao farol da Foz, a pensar na arte produzida por todos vós!
Esta música e a leitura da poesia, para aí me atira e me embala!

Golfinho disse...

...é sempre ele, o mar. Ele que nos deixa sonhar, que nos embala.É lá que eu vivo.
Golfinho

De Amor e de Terra disse...

Embora tardiamente, venho agradecer-te a publicação deste poema, pois só agora aqui cheguei!
Um beijo de muita ternura e a amizade toda.

PS.:-Agradecimentos também a todas/os quantos/as comentam e gostam da minha poesia. Bem Hajam!

Maria Mamede