quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

A ti dedico...

...porque todas as rosas têm espinhos...


Pintura de Henry Ryland


Abro a rosa com pétalas viradas para dentro
de mim, sugando-me o ser com os seus lábios
de veludo. E quando estou dentro da rosa, ouvindo
a música que corre ao longo do caule, num êxtase
de seiva, troco em versos o que a rosa me diz,
sentindo que a rosa se fecha, em botão, para
que o meu ser não saia de dentro dela. Então,
sei que habito o próprio centro do efémero,
enquanto as pétalas vão caindo, uma a uma,
à medida que a rosa se abre, e o sol que entra
para dentro da rosa, empurrando o meu ser
para fora do centro, corre nas suas veias,
como seiva de fogo, até fazer com que outros
botões nasçam, para que me suguem o ser, até
entre mim e a rosa não haver senão a frágil
fronteira de um espinho, em que me pico,
sentindo que a gota de sangue do meu dedo
podia ser a seiva em que a rosa nasce do ser
que a deseja, no instante efémero do amor.

"Rosa com espinho"-Poema de
Nuno Júdice
in "As coisas mais simples"

25 comentários:

Anónimo disse...

É sempre de uma responsabilidade acrescida ser o primeiro a comentar um poema doce, cheio de ternura...

Não me importada de ser a rosa, as pétalas ou até mesmo eu !!!

Os meus parabéns ao autor. A ti por mais uma bela escolha, num dia tão especial... um beijo (n)amoroso.

NOTA: Neste poema, quando se lê "...até entre mim e a rosa não haver serão...", não se deve lêr "...até entre mim e a rosa não haver senão..." ?

Do amigo VR

marta disse...

Linda escolha para este dia.

Paula Raposo disse...

Boa escolha! O poema é lindíssimo. Beijos.

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Ser feliz, do ponto de vista da psicologia, não é ter uma vida perfeita, mas saber extrair sabedoria dos erros, alegria das dores, força das decepções, coragem dos fracassos. Ser feliz neste sentido é o requisito básico para a saúde física e intelectual.
Paragrafo retirado do livro “Nunca desista dos seus sonhos” do autor augusto Cury.

É dos sonhos que eu vivo com os pés bem assentes na terra, força!
Beijinhos
Conceição Bernardino

Heloisa B.P disse...

POIS TEM!!!!!_TODAS AS ROSAS TEM ESPINHOS; MAS... SAO BELISSIMAS E PERFUMADAS:*LIKE YOU*!!!!!
_OBRIGADA PELO LINK!
Beijinhos.
MUITISSIMO BELO!
Sua Amiga,
Heloisa
***********

Nilson Barcelli disse...

O Nuno Júdice é um dos meus poetas favoritos.
Este poema, mesmo com espinhos..., para além da qualidade poética habitual do autor, é inteligente.
Beijos.

Peter disse...

Gostei especialmente dos três últimos versos.

P.S.- O mail do blog bric_a_brac@sapo.pt está c/problemas. Deve ser por não ter a PT como servidor.
Por favor utiliza lagarto445@hotmail.com
Desculpa o incómodo.

ventura disse...

É sempre um risco (diria, atrevimento...) observar o "português" de quem escreve muito bem, como é o caso do Nuno Júdice. Mas, quem não erra !... não necessáriamente quem escreve, mas eventualmente quem copia.

Obrigado pela correção, e já agora pelo mail...

Como é tão agradável "lêr-te", acompanhado com uma música que só tu sabes escolher.

Um beijo do amigo
VR

Maria Clarinda disse...

E para mim são sempre momentos únicos os que passo lendo os teus poemas e ouvindo a música deliciosa.

António Silva disse...

Cara amiga e companheira nas lides deste universo da Poesia, espero que tudo esteja bem consigo.
Aproveito para felicitá-la pela criação deste magnífico blogue e sem comentários a sua selecção e divulgação dos autores portugueses.
Obrigada pela leveza, suavidade, frescura, serenidade e hino ao Amor e a todos os apaixonados ou enamorados deste nosso cantinho português.
Um sentido obrigado e um beijo como recordação deste dia e até breve.


O Amor prende-nos e atordoa-nos
quantas vezes vagueamos perdidos
talvez por não sermos compreendidos
movidos pelo egocentrismo com que nos envolvemos.

O outro sabe aquilo que significamos
para ele colaboramos e representamos
algo de útil,protecção contra os enganos
porque no seu coração apaixonado praticamente adormecemos e repousamos.

Luis Eme disse...

O poema é vivo, intenso...

uma maravilha.

Jofre Alves disse...

Um rosa a falar de rosas, num blogue perfumado e de qualidade. Como sempre gostei de passar por aqui. Óptimo fim-de-semana.

lena disse...

linda e bela Rosa, Júdice é um poeta que admiro e um dos que mais leio

a escolha foi perfeito,

como é habito tens sempre o bom gosto a envolver cada partilha tua

parabéns pelo teu excelente gosto e por divulgares a poesia, oferendo-nos mágicos momentos


um abraço cheio de carinho

beijinhos

lena

herético disse...

BELO... sensualidade em estado puro!

Sylvia disse...

de José Saramago (1966)
in "Os Poemas Possíveis"

Ergo uma rosa, um corpo e um destino
Contra o frio da noite que se atreve,
E da seiva da rosa e do meu sangue
Construo perenidade em vida breve.

Beijinho, Syl

Isabel-F. disse...

uma maravilha este poema

boa semana
bj

alice disse...

querida amiga. que boa surpresa foi receber o seu comentário. tanto mais que este livro do nuno júdice é uma pérola. fez-me mesmo bem esta hora da vida. obrigada e um grande beijinho. bom feriado ;)*

Manel do Montado disse...

As pétalas, os espinhos, o perfume, a dor instantânea do rasgar da carne pela picada do espinho…tal como na vida, o amor sofre de vez em quando a sua picada, fica ferido, rasgado e sangrento, para voltar a nascer sarado.
Gostei do momento que me proporcionastes,
Bj

Daniel Aladiah disse...

Querida Menina
Há espinhos que são desejados.
Um beijo
Daniel

MARIA VALADAS disse...

Mas que bela rosa...com suas pétalas rubras e perfumadas...espanlhando a beleza por todos...

Um bem hajas minha roseira brava ( ainda menina .)

.) beijinhos da
Maria

Anónimo disse...

Adoro a calma serena deste blog e a sensibilidade das escolhas que fazes; N.Judice é um poeta de encantos que toca a alma de quem o lê.

de uma amiga poeta minha, deixo-te aqui um poema que gosto muito

[[Saber que a distância é só um detalhe,
Que de alguma forma tu estás comigo
E que até meus sonhos podem ser verdade.

Encanta-me imaginar-me tua,
Fechar os olhos e sentir-me nos teus braços,
Todas as noites me banhar de lua
E aquecer-me com os teus abraços.

Encanta-me saber que existes,
Que o amor também te aconteceu.
E que agora já não sou tão triste
Porque não é amor somente meu.

Mesmo distantes e sendo apenas sonho,
Quero vivê-lo, não importa quanto!
Nos braços desse sonho eu me abandono
Para gritar ao mundo que apenas AMO.]]

-Poema de Isabelle Mara-

que te ofereço com grande amizade

AC

Isabel-F. disse...

um bom fim de semana para ti

Bj doce

Passo disse...

:) adoro as tuas escolhas :)

voyeur de blogs disse...

Repetindo
...só vale a pena o bem, nunca vi sentido no mal...
o problema são as interpretações sem os devidos esclarecimentos, claro.
Obrigado.

Friedrich disse...

Um poema cheio de encanto e sensibilidade! Mais palavras para quê... se é dum poeta português. Eu nunca duvidei das tuas escolhas...

Um beijo meu