sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

O improviso de viver


Pintura de Arthur Frederick Bridgman


Voltaremos muitas vezes a um jardim de plátanos
com o luar engatilhado nos olhos.
Dir-te-ei nomes de estrelas ao acaso,
como um desvio da fronteira desenhada ao redor de nós.
Lado a lado, iremos rever novembro pelas ruas,
devassando vigílias, cantando em surdina
a intimidade de sermos amantes,
neste percurso de pássaros subitamente em fuga.
As árvores são discretas.
Por isso, levar-te-ei para habitares comigo
o improviso de viver.
Estaremos em toda a parte.
Sobrevoaremos os espaços interditos
e seremos a notícia anunciada
pela voz indomável dos que ostentam na boca
a urgência dos beijos e do riso. Vem comigo, amor.
No escuro chegaremos à fonte pelo cheiro da sede
e moldaremos na água a transparência dos momentos
em que a madrugada se comove.


(Poema de Graça Pires)

22 comentários:

qualquer coisa disse...

Tão lindo, que até doi este poema de Graça Pires.

Confesso que não conhecia... amei!


Beijos menina,

Pedro Branco disse...

Pode ser assim: http://daspalavrasquenosunem.blogspot.com/2007/02/c0nvite.html

Um beijo.

Jofre Alves disse...

Fotografia e poesia, mais perfeita união da arte feita sensibilidade e bom-gosto. Como sempre gostei de visitar o blogue. Óptimo fim-de-semana.

Anónimo disse...

Quantos de nós, não temos de improvisar... as coisas mais simples da vida, para que ela se torne BELA !!!

A fotografia... mais uma vez soubeste enquadrar perfeitamente num poema de muita sensibilidade.

Uma vez pedi-te para me ensinares a fazer estes trabalhos, mas isto não se ensina... aprende-se !!!

Quanto ao Blog, estou a aguardar novo endereço de mail (obrigado pelo teu apoio)

Um beijo... e que tenhas uma noite bem improvisada

Do amigo VR

marta disse...

Vinha dizer o que todos os outros já disseram e por certo muito melhor do que eu.

marta disse...

Vinha dizer o que todos os outros já disseram e por certo muito melhor do que eu.

marta disse...

Vinha dizer o que todos os outros já disseram e por certo muito melhor do que eu.

Paula Raposo disse...

Um poema cheio de força! Gostei. Beijos.

Maria Clarinda disse...

Mais uma maravilha de poema.
Obrigada.
Jinhos

MARIA VALADAS disse...

Mais um lindo poema que foste descobrir...para partires connnosco!

Obrigada Rosa Brava...que de brava não tens nada...

Beijinhos da
Maria

Daniel Aladiah disse...

Com Graça poética....
um beijo
Daniel

Friedrich disse...

Um poema que liberta a força dos sentidos, e nos envolve na capacidade de um simples amar...

Um beijo meu

alice disse...

querida amiga. imagina que agora venho ver-te ao jardim. para começar bem o dia. já estou com saudades tuas. beijinho grande.

Passo disse...

q giro já conhecia, foi colega da mnh socia na faculdade :)

Peter disse...

Gostei especialmente dos versos:

"Lado a lado (...) subitamente em fuga"

Uma interessante gravura "old style".

lena disse...

Graça Pires a Poeta que adoro ler,

deixo-me moldar nos seus versos ...

atravesso fragilmente o poema e leia em todas as cores e sentires

este teu refugio tem o condão de nos dar as mais belas partilhas, doce rosa linda


o meu abraço, sempre com um grande carinho

beijinhos muitos para ti rosa perfumada

lena

alice disse...

olá menina marota. se quiser. aceite o desafio do meu blog. um bom fim de semana. e um grande beijinho. gosto muito de si ;)*

LdS disse...

permanente a descoberta, porque nada é igual. gostei, pois. LdS

Maria Clarinda disse...

Mais um poema maravilhoso, gostei de o conhecer, tenho lido outros mas este ainda não.
A pintura , maravilhosa como sempre.
Jhs grandes

TINTA PERMANENTE disse...

Poesia e Estética. Muito!...
Afectuosamente

lobices disse...

...não conhecia este teu roseiral
...um beijinho

Gi disse...

Rosa Brava.
Um obrigada pela visita e pelas palavras. Gostei muito deste teu cantinho. Vou por certo voltar :)
Noite feliz
Um beijinho